Páginas

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

A timidez das crianças.... Deixa-te levar!!!




Quando o meu filho nasceu, tornei-me muito observadora da forma como as pessoas interagiam com ele. Eu própria. E comecei a observar que a algumas interações ele dava um passo atrás, a outras, ele simplesmente comunicava e brincava.

Hoje em dia, continua a ser da mesma forma.

Acontece o mesmo com a minha filha mais nova, apesar de observar também outro tipo de atitudes. Todos manifestamos comportamentos diferentes. :)

É engraçada a forma como as pessoas são rápidas a julgar. E as que mais julgam o meu filho, são aquelas com quem ele não comunica.

As pessoas que o julgam como tímido, como tendo um problema, como tendo um bloqueio emocional qualquer, como não social, são aquelas que não o conhecem. Que nunca brincaram com ele, que não sabem o que ele gosta, que ainda não tiveram uma conversa com ele.

Eu noto que, muitas vezes, essas pessoas tentam comunicar com ele. TENTAM! E tentam demais.

Eu sinto. Não sei se ele sente. Mas eu sinto que as pessoas tentam. Só que se estão a tentar, também estão com um pé atrás. 

Aquele dono de café, que mesmo percebendo que à primeira ele não lhe respondeu, continuou a conversar com ele, sabendo que ele o estava a ouvir. Não houve uma palavra de crítica, um único julgamento, apenas um olhar terno, um sorriso acolhedor. 

E assim, vindo do nada, quando saímos, um apertar de mãos! Um olhar trocado.

Ou então amigos que entram aqui em casa, que ele nunca viu, mas que são convidados a ir para o quarto dele brincar!

Ou familiares que ele vê uma ou duas vezes no ano, e que brinca com eles!

E familiares a quem ele diz que gosta muito. Com quem brinca. Que desfrutam dos colos. 

E depois pessoas na rua que lhe dizem coisas que o "deixam triste" (segundo ele): é o gato que comeu a língua, "és tímido, és??", "estás com vergonha? não precisas ter vergonha!", entre outras coisas.

Uma criança que é tímida - aos olhos do mundo claro, porque a criança é como é - não vai aproximar-se mais quando a julgam por ela não se sentir à vontade para responder ao primeiro olá ou não querer dar o famoso beijinho da praxe. Alías, qualquer crítica ou julgamento à criança só a vai afastar ainda mais.

Se conheces alguma criança que julgas como tímida, experimenta largar esse julgamento a próxima vez que a vires.

Esquece tudo o que sabes sobre conversar com crianças. Larga as tuas expectativas do que deve ou não deve acontecer.

Observa a criança e o momento. Observa a tua necessidade de dizer ou fazer alguma coisa. Escuta o momento. 

E deixa-te levar. Deixa-te levar pela conexão.

Não penses muito. (Mas também não precisas dizer disparates não pensados, como "pronto, não falas comigo, vou-me embora! - isto porque há pessoas que o fazem e também não ajuda!!!)


Sem comentários:

Enviar um comentário